Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Novo documentário sobre Sousa Mendes

Um novo documentários sobre Aristides de Sousa Mendes, que está a ser realizado na Argentina, deverá estrear até ao final do ano no Festival de Direitos Humanos.

O filme está a ser realizado por Victor Lopes, um luso-descendente, e tem como protagonistas os actores Melissa Zwanck e Nahuel Padrevecchi.

O realizador referiu recentemente num comunicado que a história de Sousa Mendes é praticamente desconhecida na América do Sul, mas que, enquanto descendente de portugueses, se sente orgulhoso da acção do ex-cônsul de Bordéus: "Aristides foi um homem como qualquer outro, só que numa dessas encruzilhadas onde a vida nos costuma colocar não reagiu como a maioria".

"Para Aristides teria sido muito fácil desocupar com o exército ou a polícia os jardins da Embaixada que, naquela altura, estavam cheios de homens, mulheres e crianças perseguidos em busca de um salvo-conduto que os levasse para o porto de Lisboa, no entanto, ele não o fez... O que faria eu? O que faria você? O que fariam os embaixadores actuais de Portugal à volta do mundo?", questiona Victor Lopes.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

«Escaparate de Utilidades»
Cabeleireiro Ribeiro

Programa Cinema São João, 11 de Novembro 1941

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Lançamento de "Estoril" no Hotel Palácio

O livro "Estoril" de Dejan Tiago Stankovic é lançado esta tarde no Hotel Estoril Palácio, no Estoril, um espaço que é também palco de vários acontecimentos relatados na obra.

"Estoril", que já foi premiado pela Academia de Belgrado, passa-se em Portugal durante a II Guerra Mundial e mistura acontecimentos reais com ficção tendo como figura central o espião Dusko Popov, aliás "Tricycle", um agente duplo que trabalhou para alemães e britânicos e que teve papel fundamental na rede montada para desviar as atenções dos nazis da Normandia no Dia D.

Popov, uma personagem bem real, passou várias vezes por Portugal e o autor, também de origem Sérvia, conseguiu localizar no nosso país uma mala com alguns pertences desta personalidade que segundo vários especialistas foi a inspiração para o 007, de Ian Fleming. Popov era um mulherengo, jogador e gastou fortunas nas voltas da guerra.

O livro incluí também outros nomes sonantes que passaram pelo Estoril durante a guerra, nomeadamente, Jean Renoir, os Rothschild, os Habsburgos, Eduardo VIII, Saint-Exupéry, o deposto rei Carol II da Roménia, Salvador Dali, Marc Chagall, Zsa Zsa Gábor, o campeão mundial de xadrez russo Alexander Alekhine entre outros.


Mais logo às 18.30 no Hotel Estoril... Também vou estar por lá.

Carlos Guerreiro

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Localizado novo tripulante do Lancaster de Vila Chã

Através das redes sociais foi possível contactar o neto do Sargento Gordon Edward Deschaine, um dos tripulantes, do bombardeiro britânico Lancaster, que aterrou de emergência em Vila Chã, perto de Vila do Conde.

O sargento Gordon Edward Deschaine, 
um dos tripulantes que aterrou em Vila Chã em 1943.

Infelizmente o veterano encontra-se muito doente com Alzheimer, mas continuam os contactos com a família no sentido de trocarmos mais informação.

Um ano depois da inauguração em Vila Chã de um memorial recordando a aterragem forçada do bombardeiro continuam a surgir novidades.

O trabalho realizado especialmente pelo Bruno Costa que produziu o vídeo reconstituindo o acontecimento, colaborou na criação do memorial e de um espaço no museu local, continua a dar frutos.

Recordo que já tinha sido possível localizar o filho do piloto Stanley Jones e o sobrinho do artilheiro Charles Smith Cook, que também esteve presente na cerimónia de inauguração do monumento.

Carlos Guerreiro

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

O Postalinho...
Uma Fanfarronada Alemã


Postal de propaganda britânico possivelmente dos finais de 1941, numa altura em que os EUA ainda não estavam oficialmente em guerra, mas já forneciam material bélico ao Reino Unido e aos seus aliados.

Até ao ataque a Pearl Harbour, em Dezembro de 1941, os EUA não eram oficialmente beligerantes, mas forneciam toneladas de material tanto à Comonwealth como à União Soviética, todos envolvidos na guerra contra o Eixo Berlim-Roma.

Esta política de fornecimento de material - num sistema de leasing - teve no presidente Roosevelt o principal defensor e permitiu que a indústria americana - cedo baptizada como arsenal da democracia - se adaptasse ao ritmo de guerra permitindo uma rápida conversão quando os EUA foram mesmo obrigados a entrar em combate.