Pesquisar neste blogue

terça-feira, 23 de julho de 2013

Livros…
A Batalha de Aljezur

O faroleiro de Sagres, o Sargento Francisco Regêncio, foi levado sob prisão para a cadeia do Aljube, no dia 1 de Fevereiro de 1944, por ordem da Policia de Vigilância e Defesa do Estado (PVDE), acabando por admitir durante interrogatórios posteriores que tinha espiado a favor dos alemães e enviado mensagens por rádio com informações e sobre a passagem de comboios de navios ao largo do Cabo de S. Vicente.


José Augusto Rodrigues assina um exemplar
durante o lançamento do livro em Aljezur.
Esta é uma das revelações da nova edição do livro de José Augusto Rodrigues, um trabalho que surge agora revisto e aumentado.

Nas suas páginas pode encontrar uma actualização do relato dos acontecimentos que levaram á destruição do FW200 – Condor da Luftwaffe e à morte dos seus sete tripulantes, tal como um novo conjunto de fotografias retratando os funerais.

Entre as imagens e novas histórias este livro traz também factos sobre o grupo britânico que esteve me Portugal em 1943 para instruir pilotos e mecânicos portugueses na voo e na manutenção de Spitfires, Hurricanes, Blenheim´s e outros aparelhos que reforçam os ramos aeronáuticos do exército e da marinha.


Tudo razões para adquirir este novo livro que, por enquanto, continua com o preço de lançamento: 10 Euros, mais portes de envio.

Para o adquirir pode contactar a Associação de Defesa do Património Histórico e Arqueológico de Aljezur, na Rua João Dias Mendes, 48, 8670 – 086 ALJEZUR ou enviar um e-mail para adpha@sapo.pt .

Dois livros de oferta...

O autor e a Junta de Freguesia de Aljezur vão oferecer, através do “Aterrem em Portugal!”, dois exemplares deste livro.

Nos próximos dias será divulgada mais informação sobre a forma como os livros serão oferecidos.

Fique atento…

Carlos Guerreiro

6 comentários:

  1. É o meu que está a ser assinado? :-)
    Um abraço
    Jorge Russo

    ResponderEliminar
  2. O "revista e aumentada" parece-me bem!

    ResponderEliminar
  3. Presumo que de Spitfire passa a Blenheim. A correcção impunha-se.

    Estou ansioso para ver a nova versão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ricardo,

      De facto passa de Spitifire a Beaufighter...

      De resto há também uma correcção a fazer no livro "Aterrem em Portugal!".

      Nas cerimónias que tiveram lugar em Aljezur, há alguns dias, esteve presente Gunther Ott, o historiador e arquivista oficial do KG40 da Luftwaffe (esquadrilha a pertencia o FW200 abatido).

      Ele também confirmou que o Beaufighter era da esquadrilha 248 da RAF, baseada em Predannack, na Cornualha, mas que durante aquele período estavam destacados em Gibraltar...

      Parece óbvio que só podia ser assim, até pela distância que separa o Algarve da Cornualha, mas quando escrevi o livro em 2008 não tinha essa informação e no meio de tantos dados não realizei mais diligências... Peço desculpa aos leitores porque devia tê-lo feito.

      Eliminar