Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Estoril relembra morte do general Sanjurjo

O romance “O Nosso Homem no Estoril”, de A. Travers, será apresentado no próximo dia 30, Sábado, por volta das 16 horas no Espaço Memória do Exílios, momento onde o jornalista Paulo Amaral também realizará a conferência “História e ficção de Sanjurjo, o ditador espanhol que não chegou a sê-lo”.


Pode adquirir o livro "O Nosso Homem no Estoril" AQUI.

O acidente de aviação que vitimou o general espanhol era o líder do levantamento que levaria os nacionalistas ao poder e Franco à cabeça do movimento.

As especulações sobre as reais causas do desastre ainda hoje são discutidas. Do livro, que será apresentado pelo editor da Gradiva Guilherme Velnete, fica a sinopse:

20 de Julho de 1936. Dois dias depois de começar o «levantamento nacional» contra o governo republicano de Madrid, uma avioneta despenhou-se em Portugal, na Quinta da Marinha.

De volta a Espanha, seguia nela José Sanjurjo, o general que iria dirigir o «levantamento». Era fácil juntar suspeitas a tal morte. Mas nem todos queriam que estas se transformassem numa busca da verdade. Pelo contrário! Para o general Franco, a morte do general Sanjurjo constituía uma grande oportunidade.

Acidente ou sabotagem?

Procurar a resposta era tudo menos isento de dificuldades. Em Lisboa, a investigação foi entregue ao inspector Miguel Neves. Sofrendo pressões da PVDE, recebeu instruções para seguir uma «pista comunista». Surgiram as dúvidas, adensou-se a curiosidade. E, por causa disso, foi mais longe do que queria."

Boas leituras...

Sem comentários:

Publicar um comentário