Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 28 de julho de 2021

O Postalinho...
Basófia Alemã em Agosto de 1939

 


Postal inglês de propaganda, certamente de 1941, onde se realçam as ações da RAF nos ataques a cidades e infra-estruturas na Alemanha durante os meses de Junho e Julho daquele ano.

Trata-se de um cartoon produzido especificamente pela equipa do gabinete de propaganda para ser distribuído em formato de postal ou outro. Noutros casos - como já aqui revelámos - tratavam-se de desenhos humorísticos que tinham sido publicados previamente na imprensa britânica e que depois eram reaproveitados para o mesmo efeito.

É possível que este postal tenha também sido impresso e distribuído porque no Verão anterior - o de 1940 - a RAF tinha sido instrumental para vencer a "Batalha de Inglaterra". Naqueles meses tinham sido os caças britânicos a bater a  Luftwaffe que então bombardeava cidades, portos, bases aéreas e navais. Agora eram os bombardeiros a levar a guerra até aos alemães...

C. G.

segunda-feira, 26 de julho de 2021

«Escaparate de Utilidades»
Whisky Sandeman

 

Diário de Lisboa, 26 de Julho de 1941

quinta-feira, 15 de julho de 2021

Imagens Portugal 1939-1945
Apreciar o sol tão... vestidos

 



Esta fotografia do "Imagens Portugal 1939-1945" foi tirada em 1944 ou 1945 numa praia da Costa da Caparica. Como se pode perceber a indumentária vai desde fatos de banho, bastante menos ousados que os atuais, até fatos de tweed ou vestidos completos que também são fáceis de ver noutras imagens daquele período.

Esta fotografia foi tirada por Leslie H. Howard, um cidadão inglês que viveu em Portugal - na zona de Cacilhas, Almada - entre as décadas de 20 e 70 do século passado. Vários negativos resultantes das suas recolhas fotográficas, realizadas entre 1920 e 1950, têm surgido à venda em sites da especialidade. Adquirimos alguns e fica a promessa de que continuaremos a divulgá-los por aqui.

quarta-feira, 30 de junho de 2021

Podcast Portugal 1939-1945 - À procura do tio que morreu em Timor

Elsa Lemos conta a história das suas pesquisas sobre o tio-avô Mário Enguiça, opositor ao Estado Novo exilado para Timor, acusado da autoria de dois ataques à bomba em Lisboa. Na antiga colónia terá morrido de fome na sequência da invasão japonesa de 1942.


A história deste tio-avô sempre fascinou Elsa que herdou as cartas e outra documentação que abriram pequenas janelas sobre a sua vida. Nos últimos anos tem investigado as experiências deste familiar com o objectivo de reunir esse material num livro.


Powered by RedCircle

segunda-feira, 21 de junho de 2021

Sonia Huli recorda história da família refugiada em Cascais

O Espaço Memória dos Exílios promove amanhã, dia 22, pelas 21 horas mais um encontro online do ciclo “Eu Lembro-me...”, desta vez com Sonia Huli que, em português, vai recordar o período que a família viveu durante a II Guerra Mundial.


O percurso começa em Salónica, na Grécia, em Abril de 1941. A cidade é ocupada pelo exército Nazi e entre os 45.000 judeus sefarditas da cidade, José Hassid y Gattegno, a sua mulher Estherina e as suas filhas Daisy, Lilly e Buena têm proteção graças à sua nacionalidade espanhola. 


Essa protecção termina em1943, quando, com outras famílias judias de Salónica com nacionalidade espanhola e portuguesa, são deportados para Bergen-Belsen.


Neste encontro online e em português, Sonia Huli, filha de Buena e neta de José e Estherina, apresenta a história da sua família desde Salónica a Bergen-Belsen. Do campo de concentração o percurso continuou para Barcelona, Casablanca, Haifa, Tel Aviv, Brasil e, finalmente, Cascais onde Sonia Huli vive actualmente.


As inscrições gratuitas - mas limitadas - podem ser feitas AQUI.

quinta-feira, 17 de junho de 2021

Atribuição de medalha a Alfred Gerassi

Alfred Gerassi foi um agente aliado que durante a II Guerra Mundial circulou entre Lisboa e França, desenvolvendo uma rede que ajudava aviadores e agentes a fazerem o caminho entre Paris e Lion - ocupadas pelos Nazis - e Lisboa que servia de ponto de passagem até Londres.

Em 2013 já tinha escrito neste blogue a história dos Gerassi - de Alfred e da esposa Helen - e agora divulgo mais um documento que me foi fornecido pelo filho Patrick. Trata-se da citação que atribuiu a Medalha do Rei por Coragem na Causa pela Liberdade...

Fica a tradução e a cópia do documento onde são relatados algumas das ações em que Alfred se envolveu entre 1941 e 1945.

Segue-se a tradução·  


Alfred Gerassi

Medalha do Rei por Coragem na Causa pela Liberdade

Alfred Gerassi voluntariou os seus serviços em Lisboa em Março de 1941 e foi enviado para ªAris em Abril de 1941 para organizar a comunicação e rotas de exfiltração de Paris para Lisboa. Ele estabeleceu contacto com Lisboa e criou as principais ligações da sua organização quando foi preso em Paris em Março de 1942. Graças ao seu desembaraço e sangue frio obteve a libertação me Maio de 1942.

Após a sua libertação Gerassi retomou as suas actividades em Lion. Ele reportou com o seu chefe em Portugal em Novembro de 1942.  Foi-lhe então confiada a organização de itinerários de fuga de França para Lisboa através de Bilbau. Nesta missão providenciou a fuga de França para Inglaterra de vários agentes valiosos e pessoal da RAF. Durante esta actividade, em cola oração com seu principal assistente, foi preso pela polícia portuguesa a 30 de Junho de 1944. Ambos foram libertados a 8 de Setembro, após vários interrogatórios e nove semanas de prisão.

Foi totalmente graças à previdência e capacidade organizativa de Gerassi que as autoridades portuguesas foram incapazes de penetrar a organização que continuou funcionar mesmo durante o período de aprisionamento e até à libertação da França.

Considerando os valiosos serviços de Afred Gerrassi durante um período de quatro anos, a sua grande devoção pelo dever e a sua constante coragem, recomenda-se que lhe seja atribuída a "Kings Medal for Courage in the Cause of Freedom".

terça-feira, 15 de junho de 2021

Refugiados que passaram por Cascais estão online


As entrevistas que têm estado a ser realizadas pelo Espaço Memória dos Exílios, de Cascais, estão agora disponíveis em formato video num portal que pode ser consultado de forma gratuita AQUI.

Os vídeos são acompanhados de fotografias e textos em português e inglês que resumem o conteúdo das entrevistas que foram realizadas em inglês. 

Neste momento podem ser encontradas quatro conversas - John Tetzeli, Jean-Claude Van Italie, Joan Arnay Halperin e Mary Seeman -, e outras três já estão agendadas. 

sexta-feira, 11 de junho de 2021

"Aterrem em Portugal!" em Pias Longas


No Sábado, dia 12, pelo meio dia, marcamos encontro no Aeródromo de Pias Longas, em Ourém, para falar sobre o "Aterrem em Portugal!". O livro, o site e tudo o que se seguiu desde 2008, o ano em que foi lançado...

Fica marcado o encontro... Até lá.


sexta-feira, 21 de maio de 2021

Memória do holocausto e Sousa Mendes em exposição

“Holocausto, esquecer nunca” é o nome de uma exposição que é inaugurada hoje, às 17 horas, no Pavilhão Centro de Portugal, em Coimbra, numa iniciativa que vai fazer pontes com Cabo Verde, trazendo não só histórias do Campo de Concentração do Tarrafal, como também artistas daquela antiga colónia portuguesa.


O facto de ser Dia Mundial da Diversidade Cultural e para o Diálogo e o Desenvolvimento, proclamado pela Assembleia Geral da ONU em 2002, é uma das razões para terem marcado a inauguração para hoje. A abertura desta mostra que recorda também Aristides de Sousa Mendes conta ainda com um encontro com o músico e escritor do Tarrafal Mário Lúcio, pelas 18 horas. Esta será apenas a primeira de várias ações programadas.


A exposição está aberta de terça-feira a sábado entre as 18h e as 19h30. 


Lembrar Aristides 

Desde o dia 27 de Abril pode visitar em Peniche a exposição “Candelabro ASM - Aristides de Sousa Mendas: o Exílio pela Vida”, que esteve em Bordéus no ano passado. 

Esta exposição, a primeira internacional do Museu Nacional Resistência e Liberdade, tem curadoria dos historiadores Cláudia Ninhos, Marie-Christine Volovitch-Tavarès eVictor Pereira.

O “Candelabro” remete para uma vídeo-escultura na exposição, da autoria de Werner Klotz, um artista residente em Berlim. Esta obra - de grande porte - “interpreta o dilema de Aristides de Sousa Mendes nos dias anteriores à decisão que salvaria milhares de vidas do terror nazi”, explica ocomunicado da DGPC.

A exposição, patente até outubro, pode ser visitada de Quarta a Sexta-feira, das 14:00 às 18:00; ao Sábado e ao Domingo, das 10:00 às 13:00 horas.

sexta-feira, 14 de maio de 2021

«Podcast Portugal 1939-1945»
O Museu do Holocausto no Porto (Ep. 5)

 

O museólogo Hugo Vaz conduz-nos numa visita pelo Museu do Holocausto no Porto que abriu as portas em abril de 2021. 


Com ele vamos conhecer o museu que conta a história da comunidade judaica antes, durante e depois do holocausto, e também a comunidade judaica daquela cidade que durante a II Guerra Mundial acolheu, tratou e encaminhou refugiados que escapavam à guerra e ao nazismo. 


Este é o tema do quinto episódio do podcast Portugal 1939-1945.



Powered by RedCircle

sexta-feira, 30 de abril de 2021

O Postalinho...
Damned, esta é a nossa própria ilha!

 

Postal de propaganda alemão possivelmente dos primeiros anos da guerra, entre o período da Batalha de Inglaterra (1940) e os dois anos seguintes. 

A cena não necessita de muitas explicações e tanta ridicularizar tanto o espírito britânico como o estado do país naquela fase da guerra.

sexta-feira, 23 de abril de 2021

Imagens Portugal 1939-1945
A ver a tropa passar...

 


Neste Imagens "Portugal 1939-1945" destaque para numa fotografia tirada em abril de 1942 mostrando cinco militares portugueses passeando pelas ruas de uma vila portuguesa que não consigo identificar - qualquer sugestão é bem vinda...

Na legenda pode ler-se: "Num dos habituais passeios pela vila (...?) onde se nota que as pequenas se escondem à nossa passagem, mas no entanto sempre espreitam. Abril de 1942".

De facto consegue perceber-se na fotografia original que alguém - aparentemente uma das "pequenas" - espreita pela janela da varanda no canto superior esquerdo. Destaquei esse pormenor no canto inferior da imagem.

terça-feira, 20 de abril de 2021

O "Holocausto" nas palavras de Irene Pimentel

A historiadora Irene Pimentel é a convidada desta quinta-feira (22 de abril) para mais uma sessão online organizada pelo Espaço Memória dos Exílios. 

Em pano de fundo vai estar o seu mais recente livro com o título "Holocausto", uma reflexão da autora sobre este acontecimento, onde aborda o processo que levou à sua implementação, a sua história e as ideias erradas que sobre ele fazem.

A inscrição é gratuita, mas deve ser feita com antecedência AQUI.

quinta-feira, 8 de abril de 2021

«Podcast Portugal 1939-1945»
À procura das crianças perdidas durante o êxodo (Ep. 4)

 



Inês Fialho Brandão, museóloga e responsável pelo Espaço Memória dos Exílios, no Estoril, explica neste novo podcast os objectivos do projecto “Onde estão as crianças”, uma iniciativa que pôs alunos do 12º ano a procurar as histórias de nove menores encontrados em Paris, sozinhos, no meio da confusão causada por milhares de refugiados que tentavam escapar ao avanço alemão durante a invasão de França. 

O ponto de partida foi uma reportagem publicada na edição de 30 maio de 1940 na revista “Paris Match” com o título “Les enfants perdus dans l’exode” (As crianças perdidas durante o êxodo) que retratava as histórias das crianças - quatro delas bebés - num artigo de dupla página. 

Foi para descobrir o seu destino que Inês Fialho Brandão propôs aos professores Cristina Antunes, Paulo Gonçalves, Ana Toulson e aos alunos da turma F, do 12º ano da Escola Secundária Fernando Lopes Graça, da Parede, no ano lectivo 2019/ 2020, uma investigação que ainda continua e cujos resultados podem ser seguidos num portal da internet.


Powered by RedCircle

sexta-feira, 19 de março de 2021

Portugueses e luso-descendentes que lutaram na II Guerra Mundial

O site "Portugal 1939-1945" apresenta hoje uma nova área dedicada aos portugueses e luso-descendentes que participaram em combates na II Guerra Mundial integrados em diversas unidades militares de vários países.


A nova área chama-se "Fogo" e abre com as histórias de alguns luso-descendentes que lutaram como voluntários em Singapura. O trabalho de recolha foi realizado pelo António Fragoeiro e fica a promessa nas próximas semanas e meses acrescentarmos mais gente a esta página, não só relacionados com o teatro de operações já referido, mas também de outros.

Pode consultar a página relacionada com Singapura AQUI.

Boas leituras...

terça-feira, 16 de março de 2021

Conferência Portugal e os refugiados judeus durante a II Guerra Mundial

 "Portugal na II Guerra Mundial e os Refugiados Judeus" é hoje o tema para uma palestra gratuita e online de Marion Kaplan, professora da New Iorque University, e autora de vários livros entre os quais "Hitler’s Jewish Refugees: Hope and Anxiety in Portugal", publicado no ano passado.  

A palestra, que decorre online, terá moderação de Roni Stauber, da Tel Aviv University, e comentários de Cláudia Ninhos, da Universidade Nova de Lisboa.

O acompanhamento da palestra - que decorre online a partir das 17 horas - é gratuita, mas obriga a inscrição que pode realizar AQUI.

O Convite pode ser descarregado AQUI.

quarta-feira, 10 de março de 2021

«Podcast Portugal 1939-1945»
O afundamento do Cabo de São Vicente (Ep. 3)

 

O navio de pesca Cabo de São Vicente foi afundado a 10 de Março de 1942 por um bombardeiro alemão FW200 - Condor ao largo do Cabo da Roca.  

Numa conversa com Richard Souza, neto do comandante do pesqueiro, e Günther Ott, historiador do KG40, unidade responsável pelo afundamento, vamos saber mais sobre o que aconteceu naquele fim de tarde, dar nome aos autores do ataque e saber das razões que levaram os alemães a condenar o Cabo de São Vicente.

Para ver fotografias relacionadas com o Podcast visite o site AQUI.


Powered by RedCircle

quarta-feira, 3 de março de 2021

Joan Halperin recorda história da família enquanto refugiados

A família de Joan Arnay Halperin recebeu um dos vistos dados por Aristides de Sousa Mendes em 1940, uma história que será recordada no dia 18 de março, pelas 21 horas, em directo através de Zoom, em mais uma iniciativa do Espaço Memória dos Exílios do Estoril. 


É a terceira vez que promovem uma ação deste tipo e mais uma vez é possível assistir a tudo de forma gratuita. É, no entanto, necessária uma inscrição prévia que pode realizar AQUI.

A família de Joan Halperin - pais, irmã e avó - começou a sua fuga na Polónia, passou pela Bélgica e continuou pela França onde, em junho de 1940, obtiveram um visto passado por Aristides de Sousa Mendes. A rota de fuga continuou por Espanha, Portugal, Jamaica e finalmente os Estados Unidos da América. 

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

«Podcast Portugal 1939-1945»
O Dever e a Memória (Ep. 2)

As professoras Dores do Carmo e Josefa Reis dinamizam o Dever de Memória, uma iniciativa que recorda e celebra Aristides de Sousa Mendes e a sua intervenção em Bordéus em 1940 quando entregou milhares de vistos a refugiados que procuravam abandonar a França em desespero. 

As primeiras iniciativas foram desenvolvidas no Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal - concelho onde se integra a freguesia de Cabanas de Viriato, local de nascimento de Sousa Mendes - há pouco menos de uma década, ms rapidamente cresceu raízes em todo o país e mesmo no estrangeiro.

O "Dever e a Memória" é o título do episódio 2 do podcast "Portugal 1939-1945"...

Powered by RedCircle

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Imagens Portugal 1939-1945
Carreta puxada por cabra nos Açores

 Primeira publicação de "Imagens Portugal 1939-1945", uma área onde iremos colocar fotografias do período da nossa história. 

Esta fotografia, que mostra uma carreta puxada por uma cabra ou um bode, foi captada em 1942 ou 1943 na Ilha de São Miguel, nos Açores, e a inscrição feita nas traseiras refere apenas que se trata da  imagem de "Costumes Açoreanos". 

Nota para o facto de se ver sombra do fotógrafo no canto inferior direito.


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021

O Postalinho...
Mussolini em armas contra uma nação decadente

 


Postal britânico de propaganda, distribuído em Portugal possivelmente em 1942, pouco depois da vitória aliada nos territórios conhecidos como as colónias italianas da África Oriental.

Os transalpinos controlavam, em 1940, a Eritreia, a Etiópia e a chamada Somália Italiana e eram a única potência do Eixo com colónias africana viradas ao Índico. Para além de tropas terrestres e aviação tinham também, no porto eritreu, de Massava  sete contratorpedeiros, oito submarinos e duas lanchas torpedeiras.

Depois de declarar guerra aos Aliados - a 10 de junho de 1940 - as tropas de Mussolini invadiram a Somália Britânica ocupando, a 19 de agosto, a capital Berbera. Os italianos fizeram ainda surtidas nas fronteiras do Quénia e do Sudão, mas em janeiro de 1941 ingleses e sul-africanos ultrapassaram as posições italianas chegando - a 25 de fevereiro - a Mogadíscio, a capital da Somália italiana. 

Massava foi ocupado a 2 de abril, altura em que os contratorpedeiros e as lanchas torpedeiras já tinham sido perdidas e apenas sobreviviam quatro dos submarinos que escaparam para o Atlântico e chegaram a Bordéus, em França, onde integraram o comando Betasom, a unidade da Regia Marina de submersíveis a operar no Atlântico. 

O Império italiano na África Oriental desapareceu a 27 de novembro de 1941 após o fim dos combates nas montanhas no norte da Etiópia.


Carlos Guerreiro

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2021

Curso on-line "Cascais Terra de Abrigo"

Quem foram os refugiados que chegaram a Cascais nos anos 30 e 40 do século passado? De que fugiam? E porque escolheram aquela parte de Portugal como refúgio? Estas são algumas das perguntas terão resposta num curso online, de quatro sessões, que vai contar com Margarida Magalhães Ramalho como guia. 

 

Famílias reais, governos em fuga, intelectuais, artistas conhecidos e milhares de anónimos, encontram no Estoril alojamento, abrigo e segurança entre o princípio da guerra civil espanhola e o fim da II Guerra Mundial.

Margarida de Magalhães Ramalho pretende revisitar as histórias daquele período, partilhando as histórias que recolheu ao longo da sua investigação sobre pessoas conhecidas e anónimas que passaram, por aquela zona. 

Margarida Magalhães Ramalho é licenciada em História da Arte, é co-autora do Museu Virtual Aristides de Sousa Mendes e é responsável científica do Museu Vilar Formoso Fronteira da Paz .

As sessões decorrem nos terças-feiras de 9 e 23 de fevereiro, e 9 e 23 de março, a partir das 21 horas. A inscrição nas quatro ações têm o custo de 30€ e podem ser feitas AQUI. Mais informações podem obtidas através do telefone 21 4815930 ou do e-mail: eme@cm-cascais.pt. Nos contactos deve constar que que pretende inscrever-se em "Bilhetes Cascais, Terra de Abrigo - Curso online - Sala Virtual FDL".

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2021

"Portugal 1939-1945" em formato podcast

A tropa de João Viegas é o primeiro podcast do "Portugal 1939-1945" e traz extratos de uma conversa tida há mais de uma década com um homem que vivia em Olhão e cumpriu o serviço militar durante o período da II Guerra Mundial ao volante de uma camião que percorria o país a recolher os aviões que caíram ao longo do conflito.

Na página do portal de internet dedicado a esta história pode encontrar mais informação e fotografias...


Powered by RedCircle


No futuro poderá ouvir neste podcast especialistas e autores de trabalhos relacionados com o período entre 1939 e 1945, mas quero também que acompanhe as memórias daquele período, tanto pessoais como as que foram deixadas à família ou a amigos. Apesar da pandemia haverá certamente forma de conversarmos.

Se tiver histórias para contar agradeço o envio de uma mensagem para a página de contactos do site.

Espero que goste... 

terça-feira, 26 de janeiro de 2021

Para continuar online…

Os interessados em história e no período da II Guerra Mundial podem assistir a mais duas iniciativas online numa semana que - como referi ontem - já está bastante preenchida.

Assim amanhã, dia 27, Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, pode assistir a uma conferência de Irene Flunser Pimentel sobre o tema. A organização é do Centro de Estudos Judiciários.


Não é necessária inscrição prévia e pode ser acompanhada em directo AQUI ou AQUI. Para obter mais informações pode consultar a página oficial do evento.

Mas esta conferência não é a única nova iniciativa por estes dias. Na sexta feira, dia 29, pelas 18 horas, tem lugar uma tertúlia que tem como tema “Holocausto e coleções em Portugal”, que vai reunir Cláudia Ninhos, historiadora e investigadora no Instituto de História Contemporânea e na Fundação Aristides de Sousa Mendes, Inês Fialho Brandão, historiadora e coordenadora do Espaço Memória dos Exílios, e Margarida Ramalho, historiadora e investigadora do Instituto de História Contemporânea e Diretora científica do Museu Vilar Formoso Fronteira da Paz. 

A organização é do Museu da Farmácia e a iniciativa pode ser seguida no Facebook. Não é necessária inscrição e pode obter mais informação AQUI.

Hoje -- como referimos na notícia de ontem - têm lugar duas iniciativas, ambas às 18 horas. 

Com organização da Memoshoá, Yad Vashem e apoio do Ministério da Educação é apresentada a exploração pedagógica do livro de banda desenhada “Aristides de Sousa Mendes, herói do Holocausto” de José Ruy. A ação surge no âmbito do projeto educativo “Dever de Memória” do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, e conta com as conferências das professoras Dores Fernandes e Josefa Reis, para além de uma entrevista ao autor José Rui. 

A inscrição para esta iniciativa deve ser feita AQUI e não é obrigatório que seja docente. 

À mesma hora a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, e no âmbito do Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, realiza-se uma sessão através de Zoom, denominada «Convivência da ficção e não ficção no tema do Holocausto», com a presença da historiadora Irene Flunser Pimentel e do escritor João Pinto Coelho. 

Esta sessão conta com o comentário da jornalista da RTP Ana Luísa Rodrigues e a moderação de Aida Alves. Neste caso não existe inscrição prévia e a admissão será feita no momento do evento, em https://zoom.us/j/95025508376

Pode ainda acompanhar a sessão na página de Facebook da biblioteca e na página oficial do evento.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Semana de actividades online gratuitas

Ouvir o depoimento de um refugiado que passou por Portugal durante a II Guerra Mundial; saber mais sobre o holocausto numa conversa com Irene Pimentel e João Pinto Coelho; conhecer melhor a história dos refugiados e de Aristides de Sousa Mendes numa  conversa com José Rui, autor de um livro de banda desenhada sobre sobre o nosso cônsul em Bordéus em 1940 ou ouvir histórias de alguns dos pilotos da RAF que fizeram a Batalha de Inglaterra e ver algumas das suas fotografias pessoais. estas são algumas das iniciativas online que pode acompanhar nesta última semana de janeiro de forma gratuita e online.

Apesar da sua gratuidade muitas destas iniciativas obrigam a inscrição prévia, razão porque deve consultar as ligações que serão disponibilizadas. 

Fica o calendário:


Terça-feira, 26 de janeiro:


Este é o dia mais preenchido da semana com duas iniciativas e ambas às 18 horas. 

Com organização da Memoshoá, Yad Vashem e apoio do Ministério da Educação é dado o pontapé de saída de uma série de encontros para professores relacionados com a temática do Holocausto. Nesta primeira iniciativa será feita uma apresentação da exploração pedagógica do livro de banda desenhada “Aristides de Sousa Mendes, herói do Holocausto” de José Ruy.

Esta ação surge no âmbito do projeto educativo “Dever de Memória” do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, e conta com as conferências das professoras Dores Fernandes e Josefa Reis, para além de uma entrevista ao autor José Rui.

A inscrição para esta iniciativa deve ser feita AQUI e não é obrigatório que seja docente.



À mesma hora a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, e no âmbito do Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, realiza-se uma sessão através de Zoom, denominada «Convivência da ficção e não ficção no tema do Holocausto», com a presença da historiadora Irene Flunser Pimentel e do escritor João Pinto Coelho.
 

Esta sessão conta com o comentário da jornalista da RTP Ana Luísa Rodrigues e a moderação de Aida Alves.

Neste caso não existe inscrição prévia e a admissão será feita no momento do evento, em https://zoom.us/j/95025508376

Pode ainda acompanhar a sessão na página de Facebook da biblioteca e na página oficial do evento.



Quarta-feira, 27 de janeiro:

Entre as 15 e as 16 horas poderá seguir a conferência de Dilip Sarkar, historiador e autor de vários livros sobre a RAF durante a II Guerra Mundial, que vai falar sobre a sua experiência com aqueles que Churchill chamou os “poucos” a quem muitos ficaram a dever “tanto”, - os pilotos dos caças da RAF que combateram durante a Batalha de Inglaterra.


Sarkar promete mostrar fotografias pessoais de vários daqueles aviadores com os quais conviveu pessoalmente durante muitos anos.

Este webinar, que tem organização da Battle of Britain Memorial Trust, será em inglês e é obrigatória inscrição prévia para a acompanhar. 



Quinta-feira, 28 de janeiro: 


Entre as 21 e as 22 horas poderá acompanhar as memórias de Jean-Claude Van Italie, um refugiado da II Guerra Mundial, que chegou a Portugal em junho de 1940, com apenas quatro anos, acompanhado dos pais, tia e avôs. 

A organização é do Espaço Memória dos Exílios, do Estoril, e é a segunda iniciativa deste ciclo, depois de em Outubro o convidado ter sido John Tetzeli, outra criança refugiada que passou pelo país em 1940.

Quatro conversas com outros refugiados deverão acontecer nos próximos meses. 

Também aqui é necessária inscrição prévia que pode realizar AQUI.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

Memórias de um refugiado da II Guerra Mundial em directo


No próximo dia 28 de janeiro, quinta feira, pelas poderá acompanhar on-line a história e as memórias de Jean-Claude Van Italie, um refugiado da II Guerra Mundial, que chegou a Portugal em junho de 1940, com apenas quatro anos, acompanhado dos pais, tia e avôs.

A iniciativa é do Espaço Memória dos Exílios, do Estoril, e é já a segunda iniciativa deste tipo, depois de em Outubro passado a conversa ter acontecido com John Tetzeli, outra criança refugiada que passou pelo país em 1940. A organização pretende realizar um total de seis sessões...

Assistir ou participar nesta iniciativa é gratuito, mas é necessária inscrição prévia para receber a ligação que permite o acesso à conversa. Pode aceder à página de ligação AQUI.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

Inauguração do Museu do Holocausto no Porto

Está agendada para hoje, na zona do Campo Alegre, no Porto, a inauguração do primeiro Museu do Holocausto da Peninsula Ibérica, uma iniciativa da Comunidade Judaica daquela cidade do norte do país.


Nesta espaço poderá conhecer elementos da vida judaica antes do holocausto, a história do nazismo e da sua expansão, os guetos, os refugiados, a Solução Final, as marchas da morte, os campos de concentração, de trabalho e de extermínio. Há ainda informação sobre o que aconteceu no pós-guerra com a criação do Estado de Israel por exemplo. Pode encontrar AQUI a ligação ao site.

Este espaço museológico pretende desenvolver parcerias com espaços semelhantes, nomeadamente, museus do Holocausto em Hong Kong, Estado Unidos e Europa.



Entre o material existente no museu encontra-se ainda documentação relacionada com a presença no Porto de refugiados judeus durante a II Guerra Mundial. Expostos estarão dois rolos de Torá que chegaram à sinagoga da cidade trazidos por judeus em fuga do nazis.