Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Lisboa recebe Congresso Internacional sobre Guerra Civil de Espanha


O envolvimento de Portugal e o impacto no país da guerra civil de Espanha são hoje um dos temas que vão ser abordados durante um congresso internacional sobre o conflito que assolou o país vizinho entre 1936 e 1939.

Também em discussão vai estar o envolvimento da URSS, dos países fascistas e das democracias europeias naquela guerra.

A conferência, que termina amanhã, conta com a presença de vários especialistas nacionais e internacionais. Decorre nas instalações da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, na Avenida de Berna.

Para saber mais pode consultar o PROGRAMA.

O Postalinho...
Semanas Missionárias na Rússia


Postal de propaganda alemão que insiste, mais uma vez, nas ligações entre o Reino Unido e a União Soviética e que dá destaque a dois temas olhados com receio pela população portuguesa da época: o comunismo e o ateísmo. 

A referência a estas relações, são recorrentes, mas neste caso, os alemães tentam também dar relevância à forma como, supostamente, a igreja de Inglaterra olhava para Estaline e para os comunistas.

Era público que, por exemplo, o Deão de Canterbury era um firme defensor do regime soviético. Hewlett Johnson tinha viajado pelo país, a meio da década de 30, e publicara dois livros onde elogiava a experiência social que ali estava a ter lugar.

As suas obras, publicadas em 1939 e 1941, tornaram-no suspeito mesmo aos olhos das autoridades militares britânicas que o acusaram de espalhar propaganda derrotista e não o queriam junto das tropas.

Aparentemente terá também sido Johnson a influenciar o Estaline, para que este restaurasse o Patriarcado de Moscovo da Igreja Ortodoxa.

O postal dá também relevância ao ateísmo militante dos russos, que tinha influências perniciosas fomentando o surgimento das chamadas quintas colunas, estruturas secretas, preparadas para derrubar os governos dos seus países em nome de ideologias estrangeiras.

Carlos Guerreiro

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Algumas perguntas a Bernard Wasserstein

Bernard Wasserstein é o autor de “Do Holocausto à Salvação”, um livro lançado em Portugal no primeiro semestre deste ano, e que conta a história de Gertrude van Tijn, uma personalidade envolvida em alguma polémica e com participação activa nas negociações com os nazis para permitir a saída de judeus da Europa.

Van Tijn, uma alemã judaica a viver na Holanda, também passou por Lisboa, cidade que esteve no centro das rotas de saída de refugiados da Europa.

Bernard Wasserstein é Professor Emérito de História Judaica Moderna, na Universidade de Chicago, e autor de uma dúzia de livros relacionados com a história do judaísmo.

“The Ambiguity of Virtue: Gertrude van Tijn and the Fate of the Dutch Jews”, é o título original do último livro deste autor que respondeu a algumas questões enviadas pelo “Aterrem em Portugal!”.


Aterrem em Portugal: Quem era Gertrude Van Tijn?

Bernard Wasserstein: Oficialmente foi, entre 1933 e 1941, secretária do Comité de Refugiados Judeus de Amesterdão. Foi responsável por organizar o êxodo de milhares de refugiados judeus da Alemanha, e por encontrar locais de acolhimento para eles tanto no Novo Mundo, como na Palestina, na Austrália, ou noutros locais.

Entre 1941 e 1943 desempenhou um papel semelhante como responsável pelo departamento de emigração do Conselho Judeu de Amesterdão, criado pelos nazis.


Aterrem em Portugal: Qual era a importância do trabalho que ele desempenhava e o papel dos organismos que ela integrava?

Bernard Wasserstein: Ela teve um papel crucial no trabalho desenvolvido por aqueles organismos. Negociou com a Liga das Nações, o governo holandês, governos diversos, e organizações de ajuda internacional com o objectivo de encontrar soluções para a crise dos refugiados.

Aterrem em Portugal: Qual a importância de Lisboa no trabalho dela?

Bernard Wasserstein: Lisboa teve uma importância especial entre 1941 e 1943 porque era um dos poucos pontos de saída viáveis para os refugiados da Europa nazi. Foi-lhe mesmo permitido, pelas autoridades nazis de Amesterdão, que viajasse até Lisboa para uma curta visita, em Maio de 1941, com o objectivo de coordenar localmente uma importante operação de emigração de judeus da Holanda ocupada e da Alemanha.


Aterrem em Portugal: Há alguma ideia de quantas pessoas foram retiradas da Alemanha e do resto da Europa por estas organizações?

Bernard Wasserstein: No meu livro calculo que o número de salvamentos em que ela esteve envolvida, será aproximadamente de 22 mil. Dou todos os detalhes e demonstro como cheguei a estes números no meu livro.


Aterrem em Portugal: No final da guerra surgiram diversas acusações contra ela. O que aconteceu?

Bernard Wasserstein: Devido ao seu papel e ao seu trabalho no Conselho Judeu de Amesterdão, entre 1941 e 1943, houve quem lançasse suspeitas de que ela tivesse sido uma colaboracionista.

Ela tinha, de facto, negociado com os chefes das SS de Amesterdão, incluindo o tristemente célebre Klaus Barbie, com o objectivo de conseguir a libertação de judeus de territórios controlados pelos Nazis. Conseguiu assim salvar muitas vidas durante a ocupação.

Em alguns casos utilizou subornos. Noutros ajudou a organizar a troca de judeus na Holanda por civis alemães retidos pelos aliados.

O livro conta todos os detalhes e tem a documentação relativa aos casos.

Carlos Guerreiro

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Lançamento de Livro...
"Vilar Formoso, Fronteira de Paz"

Vilar Formoso, Fronteira de Paz, o novo livro de Margarida de Magalhães Ramalho, é apresentado esta tarde, às 18 horas, na Sala do Arquivo dos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Lisboa.

Pode saber mais sobre este livro AQUI.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Filmes...
German Concentration Camps Factual Survey

 German Concentration Camps Factual Survey é um filme que tem de ser integrado no seu tempo. A pelicula, que mostra o que os aliados encontraram nos campos de concentração no final da II Guerra Mundial, tinha como objectivo “castigar” os alemães, e recordar-lhes que não podiam simplesmente dizer que nada sabiam.

Não é um filme de fácil visionamento.

As sequências de morte repetem-se a um passo lento, prolongado, quase ao ritmo dos prisioneiros esqueléticos que espreitam pelo arame farpado e barracões.

Não há cheiro, mas ele é referido mais de uma vez ao longo dos 70 minutos.

Também não há música. Do projecto original do filme conhecem-se a maior parte das sequências, um guião com as partes que ainda não estavam editadas e os comentários que seriam colocados sobre as imagens. Tudo foi isso recuperado ou reconstituído pelos técnicos do Imperial War Museum.

Não existia, no entanto, qualquer referência à banda sonora que deveria preencher algumas das sequências. Esses espaços estão vazios e o silêncio que enche a sala é quase opressor. Ficamos sem a defesa do som, para ficarmos presos entre os cadáveres que são atirados às valas.

Mas este filme é também um claro exercício de propaganda. Todos os elementos estão lá, mas o tempo ditou que este nunca saísse para cumprir os seu papel de castigador.

Em finais de 1945 os aliados ocidentais precisavam mais de uma Alemanha amiga do que de uma Alemanha culpada… ficou tudo nas prateleiras.

“German Concentration Camps Factual Survey” passou ontem na Culturgest e terá hoje, por volta das 19.45 horas, mais uma sessão no Cinema Ideal. Vê-lo esta noite pode ser uma oportunidade que não se deverá repetir tão cedo, até porque o visionamento é acompanhado por funcionários do Imperial War Museum, responsáveis pela sua recuperação e conclusão, setenta anos depois de ter sido começado.


Carlos Guerreiro 

Notas sobre “Fury”


O novo filme protagonizado por Brad Pitt é um retrato cru dos últimos dias da II Guerra Mundial.

O filme retrata o avanço pela Alemanha da tripulação de um tanque americano Sherman nos últimos dias do Terceiro Reich. Em Abril de 1945 seguimos durante 24 horas de cinco homens e do seu tanque – Fury – pelas estradas e caminhos lamacentos de um país em desagregação.

A tripulação é liderada por Brad Pitt, no papel de um sargento que “mata alemães” desde 1942, quando as forças americanas invadiram o Norte de África. Não se trata, no entanto, de um herói, tantas vezes personagem central dos filmes de guerra americanos. Umas vezes é um destroço, que mostra as suas fragilidades, outras, um assassino a sangue frio. Deixa claro que é matar ou ser morto e não tem dúvidas de que lado quer estar.

O realismo de algumas cenas não recomenda “Fury” para todos os públicos. A lama e o sangue estão coladas ao ecrã em quase todas as cenas. Até os poucos momentos de descontracção têm uma tensão própria.

As cenas finais trazem um rasgo das antigas fitas de Hollywood (será sempre uma ficção), mas até aí as reconstituições estão muito próximas do que aconteceu em cenários reais, um aspecto reforçado pela utilização de tanques verdadeiros, e não de simulações por computador.

Carlos Guerreiro

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Livro...
"Vilar Formoso - Fronteira da Paz"
de Margarida de Magalhães Ramalho

O novo livro de Margarida de Magalhães Ramalho, “Vilar Formoso - Fronteira da Paz” é apresentado sexta-feira, às 18 horas, na sala do Arquivo dos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Lisboa.


Lisboa é o local escolhido para o lançamento deste trabalho porque para muitos dos refugiados da II Guerra Mundial – um grande número deles entrados através de Vilar Formoso - a capital representava a porta de saída para uma nova vida.

O livro surge na sequência de um projecto iniciado em 2012, pela Câmara Municipal de Almeida, que quer inaugurar, em 2016, um pólo museológico dedicado aos refugiados, com o nome «Vilar Formoso - Fronteira da Paz».

A investigação, feita no âmbito deste projeto, acabou por servir de base à publicação – com o mesmo nome que o futuro museu – e apresenta documentação e testemunhos inéditos.

A obra está dividida em sete capítulos - Gente como nós; O Início do Pesadelo; A Viage; Vilar Formoso - Fronteira da Paz; Por Terras de Portugal e A Partida. Os mesmos temas poderão ser encontrados, no futuro, nos núcleos do museu.

Por Portugal passaram milhares de pessoas em fuga. Tratava-se, na maior parte, de gente anónima, mas também aqui estiveram escritores ilustres, cineastas, pintores, artistas de cinema, intelectuais, políticos, famílias reais, banqueiros, agentes secretos, entre outros.

Alguns dos que chegaram a Portugal, nessa altura, acabaram por relatar, nas suas memórias, essa experiência. Foi o caso, nomeadamente, de Arthur Koestler, Alfred Döblin, Heinrich Mann, Antoine de Saint – Exupéry, Erika Mann, George Rony e Peggy Guggenheim.

Trata-se de mais um mergulho na história recente do país, numa altura em que nos aproximamos da passagem dos 65 anos do fim da II Guerra Mundial.

Carlos Guerreiro

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Pergunta para receber um convite para ver “Fury”

O “Aterrem em Portugal!” oferece convites duplos para assistir à antestreia do filme “Fury” em Lisboa e no Porto, no dia 20 de Outubro de 2014.

Existem dois convites para a exibição no cinema do Corte Inglês e outros dois no cinema do Norteshopping.

- Quem é o realizador do filme “Fury”?




As regras para participar são as seguintes:

- Ao meio-dia de sexta-feira, dia 17 de Outubro de 2014, será colocada uma pergunta sobre o filme “Fury” no blogue “Aterrem em Portugal!”.

- A resposta terá de ser dada na secção de comentários do blogue e tem de referir se pretende assistir às antestreias em Lisboa ou no Porto. Só poderá obter um convite duplo para um destes locais.

- As primeiras duas pessoas que responderem de forma acertada à questão e que incluam a referência a Lisboa, recebem, cada um, um convite duplo para a antestreia do filme “Fury” que acontece no dia 20 de Outubro de 2014, nos Cinemas do Corte Inglês, às 21.30 horas.

- As primeiras duas pessoas que responderem de forma acertada à questão e que incluam a referência a Porto, recebem, cada um, um convite duplo para a antestreia do filme “Fury” que acontece no dia 20 de Outubro, nos Cinemas do Norteshopping, às 21.30 horas.

- As respostas têm de incluir um dos nomes do participante. - Para inserir a resposta no blogue tem de abrir a secção dos comentários da mensagem onde está colocada a pergunta. Para abrir a secção de comentários basta clicar na palavra comentários que se encontra na parte inferior do "post", logo após a mensagem.

- Porque é necessário confirmar informações pessoais, terá de enviar também, uma cópia da resposta ao seguinte e-mail oferta.aterrem.em.portugal@gmail.com . Faça isso depois de colocar a resposta no blogue, pois será essa que contará para a atribuição do convite.

- Os convites serão levantados na noite da estreia nas bilheteiras dos cinemas onde têm lugar as antestreias.

Até já

Carlos Guerreiro

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Como obter convites para a antestreia de "Fury"

O “Aterrem em Portugal!” oferece quatro convites duplos para a antestreia, na próxima segunda-feira, do filme “Fury”, de David Ayer e com Brad Pitt, Shia LaBeouf, Logan Lerman, Michael Pena e Jon Bernthal no elenco.

Dois daqueles convites são para a antestreia que vai ter lugar em Lisboa, e outros dois para o Porto.

O filme é um retrato cru das últimas semanas da 2ª Guerra Mundial na Europa, com muita lama e sangue à mistura. Quem gosta de realismo não ficará desiludido, mas sobre isso falaremos na próxima semana.

Por agora ficam as condições para poder assistir às antestreias na próxima segunda-feira.


As regras para participar são as seguintes:

- Ao meio-dia de sexta-feira, dia 17 de Outubro de 2014, será colocada uma pergunta sobre o filme “Fury” no blogue “Aterrem em Portugal!”.

- A resposta terá de ser dada na secção de comentários do blogue e tem de referir se pretende assistir às antestreias em Lisboa ou no Porto. Só poderá obter um convite duplo para um destes locais.

- As primeiras duas pessoas que responderem de forma acertada à questão e que incluam a referência a Lisboa, recebem, cada um, um convite duplo para a antestreia do filme “Fury” que acontece no dia 20 de Outubro de 2014, nos Cinemas do Corte Inglês, às 21.30 horas.

- As primeiras duas pessoas que responderem de forma acertada à questão e que incluam a referência a Porto, recebem, cada um, um convite duplo para a antestreia do filme “Fury” que acontece no dia 20 de Outubro, nos Cinemas do Norteshopping, às 21.30 horas.

- As respostas têm de incluir um dos nomes do participante.

- Para inserir a resposta no blogue tem de abrir a secção dos comentários da mensagem onde está colocada a pergunta. Para abrir a secção de comentários basta clicar na palavra comentários que se encontra na parte inferior do "post", logo após a mensagem.

- Porque é necessário confirmar informações pessoais, terá de enviar também, uma cópia da resposta ao seguinte e-mail oferta.aterrem.em.portugal@gmail.com . Faça isso depois de colocar a resposta no blogue, pois será essa que contará para a atribuição do convite.

- Os convites serão levantados na noite da estreia nas bilheteiras dos cinemas onde têm lugar as antestreias.

Boa sorte

Carlos Guerreiro

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Oferta de entradas para antestreia de “Fury”

O “Aterrem em Portugal!” vai oferecer, na próxima sexta-feira, entradas duplas para a antestreia do filme “Fury” que tem lugar na segunda-feira, dia 20.

Estão marcadas sessões simultâneas em Lisboa e Porto e o “Aterrem em Portugal!” vai oferecer duas entradas duplas para cada uma das sessões…

"Fury" conta a história da tripulação de um tanque americano "Sherman", durante um dia, em Abril de 1945. Tem a realização de David Ayer e conta com Brad Pitt, Shia LaBeouf, Logan Lerman, Michael Pena e Jon Bernthal como protagonistas.

Amanhã darei mais pormenores sobre a forma de conseguir estas entradas.

Até lá…

Carlos Guerreiro

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

O Postalinho...
Em Roma, o costume


Postal de propaganda britânico com um cartoon que satiriza a relação de subordinação de Mussolini e dos Italianos a Hitler e aos alemães.

 O tema é recorrente em vários cartoons, especialmente depois das forças alemãs terem socorrido os seus aliados latinos “in extremis” na Grécia e no Norte de África.

Ao contrário de outros cartoons, que eram publicados na imprensa e depois aproveitados para propaganda, este tem a particularidade de estar assinado por KEM, as iniciais de Kimon Evan Marengo, um britânico nascido no Egipto, que durante a guerra ofereceu os seus serviços ao “Foreign Office” (Ministério dos Negócios Estrangeiros), apostando nos seus conhecimentos sobre o Médio Oriente, onde tinha vivido e estudado.

Promovido a tenente-coronel assumiu a liderança de um grupo especial de propagandistas, que ficou conhecido como a “KEM Unit”,e que produzia semanalmente "cartoons, postais, posters e outro material de propaganda. Consta que Kimon chegou a produzir cerca de uma dúzia de cartoons por semana em 1941.

Carlos Guerreiro

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Saídas em Outubro
Um livro, um avião e algumas fitas

A meio deste mês o DocLisboa vai exibir o filme “German Concentrations Camps: A Factual Survey”, o documentário que reúne as imagens recolhidas por diversas equipas de filmagens aliadas em vários campos de concentração alemães no final da II Guerra Mundial.

O documentário, que nunca foi exibido na totalidade, contou com o aconselhamento técnico de Alfred Hitchcock. Os ingleses pretendiam fazer uma fita que pudesse ser passada junto da população e dos soldados alemães aprisionados. O objectivo era mostrar os crimes do nazismo e contribuir para a desnazificação dos alemães.


Em finais de 1945, por razões políticas, as prioridades mudaram e a fita, incompleta, foi armazenada, até ao ano passado. O Imperial War Museum, de Londres, recuperou, restaurou as películas e completou o filme com material em bruto que se encontrava disperso. Apontamentos da época ajudaram a reconstruir o documentário.

O DocLisboa apresenta o filme durante duas sessões, nos dias 22 e 23 Outubro, respectivamente, na Culturgeste (22.00 h) e no Cinema Ideal (19.45 h).

Para além deste há mais dois filmes relacionadas com a II Guerra Mundial e os campos de concentração que vão passar no DocLisboa. “Night Will Fall” de André Singer e “Falkenau, Vision de l’impossible” de Emil Weiss, também estão agendados para o programa do maior festival de documentários do país. Os filmes passam nos dias 17, 24 e 25 de Outubro. Para mais detalhes pode consultar a nossa Agenda


A Campanha do Ananás


Já este fim de semana, no Espaço Memória dos Exílios, será apresentado o livro “A Campanha do Ananás” de José Alfredo Ferreira Almeida, uma obra fundamental para conhecer melhor o impacto e as histórias que tiveram lugar nos Açores durante a II Guerra Mundial.

O arquipélago recebeu milhares de homens vindos do continente e estava a ser preparado como uma base recuada de resistência, caso se registasse uma invasão alemã do país.

Algumas das histórias já foram tema de conversa com o autor aqui no “Aterrem em Portugal!”. O livro conta com a apresentação do historiador António José Telo e terá lugar no Estoril às 15.30 horas de sábado.


Dakota Talks



Outubro vai também conhecer mais um Dakota Talks, no Museu do Ar.

Desta vez o tema é o aeromodelismo à escala do DC- 3. Estão presentes alguns modelos de grande dimensão e também um modelista, que irá falar sobre o processo de construção do seu modelo do DC3.

Mais uma boa conversa à volta do Dakota que continua a ser restaurado.

A conversa terá lugar no dia 11 de Outubro, às 15 horas.

Uma conversa e um restauro que vale a pena seguir…

Carlos Guerreiro