Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Eduardo Neves e Melo, sobrinho de Rafael Nazareth Cardoso

Ontem recebi a notícia da morte de Eduardo Neves e Melo.

Eduardo Neves e Melo
Muitos de vocês - a maioria certamente - não sabem que era, mas tive o prazer de o conhecer em Fevereiro de 2013 no Espaço Memória dos Exílios, em Cascais, durante um encontro promovido para falar sobre o meu livro “Aterrem em Portugal!”.

O Eduardo trazia, num envelope, uma fotografia em grande formato que fez questão de me mostrar. Era do tio, Rafael Nazareth Cardoso, falecido em 1944, comandante do paquete Angola durante os primeiros anos da II Guerra Mundial e protagonista de um pequeno episódio de que na época me pareceu bastante rocambolesco: Tinha recebido dos alemães uma pequena caixa de madeira de ébano como agradecimento por ter ajudado o tripulante de um submarino daquele país.

Tinha também com ele a caixa. Era pequena, escura e tinha uma chapa de prata onde se lê: “Ao Cdte. Nazareth Cardoso em reconhecimento pelo seu acto humanitário. Em 19-11-1943. A Marinha de Guerra Alemã".

A história intrigou-me e nas semanas seguintes trocámos uns e-mails onde me deu mais pormenores sobre este familiar. Amante do mar quis entrar para a Armada, mas não conseguiu, razão porque se virou para a marinha mercante. Era apontado como alguém que cumpria escrupulosamente as regras e não facilitava. Era um germanófilo convicto e tinha até as poupanças numa banco alemão, razão porque deixou a mulher na ruína quando a guerra acabou. Nunca teve filhos.

Com os poucos dados que tinha consegui, ainda naquele mês de Fevereiro, descobrir mais alguns dados que confirmavam a distante e nebulosa história. No dia 19 de Novembro de 1943 o Angola foi inteceptado pelo U-103 que tinha a bordo um tripulante com tuberculose. Este último foi transferido para bordo do navio português para receber a assistência devida e os marinheiros alemães receberam ainda das mãos de um diplomata italiano que estava a bordo 3500 cigarros...

Ficámos os dois animadíssimos.

O comandante Nazareth Cardoso
com o Almirante Gago Coutinho..
.
Continuámos a trocar uns e-mails e a encontrar-nos aqui e ali de vez em quando. A história do tio vinha sempre à baila.

A partir de 2014 empenhei-me fortemente na recolha de material sobre as actividades das nossas marinhas - Armada, mercante e pesca - porque percebei que havia muito história não contada e que afinal eram tão espectaculares... A questão dos salvamentos realizados pelos nosso navios são o centro deste trabalho.

E foi aí que descobri de novo o nome de Nazareth Cardoso. Em 4 de maio de 1941, também como comandante do Angola, ele tinha recolhido 43 sobreviventes do cargueiro britânico Wray Castle...

Curiosamente o U-boat que afundou este navio foi o U-103, o mesmo que dois anos depois lhe pediu para acolher o homem tuberculoso.

Há uns meses consegui localizar os Diários de Navegação do Angola e na página correspondente ao dia 19 de Novembro de 1943 destaca-se uma nota  em alemão, de agradecimento, do comandante do u-boat alemão...

Ficámos de ir juntos ver o livro, mas já não foi possível.

Este blogue é também das pessoas que o lêem, que me procuram e que partilham as suas histórias. É um bocado de todos vós e, por isso, vai continuar a ser um pouco do Eduardo Neves e Melo...

Até um dia destes meu caro...

Carlos Guerreiro

Sem comentários:

Publicar um comentário