Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Deputados pedem para batizar ponte de Bordéus com nome de Sousa Mendes

A história já é pública há uns dias, mas tive dúvidas em avançar com a informação.

Pessoalmente acho a iniciativa louvável, mas quando internamente não há entendimento quanto ao que fazer com a casa e com a memória da personalidade em causa, torna-se estranho aparecer um pedido deste género.

Parece ser mais fácil fazer pedidos aos de fora...

Fica a notícia como esta foi transmitida pela Agência Lusa:


Deputados do PSD pedem a Alain Juppé para batizar ponte de Bordéus com o nome de Aristides Sousa Mendes 

Deputados do PSD enviaram uma carta ao autarca de Bordéus, Alain Juppé, a pedir-lhe que batize a nova ponte daquela cidade francesa com o nome Aristides Sousa Mendes, o cônsul português que salvou milhares de judeus na II Guerra Mundial.


"Tomamos conhecimento de que a nova ponte neste momento em construção na cidade que V. Exa. dirige considera como uma das possibilidades promover o reconhecimento do papel desta personalidade portuguesa mediante a atribuição do seu nome à nova ponte", lê-se na carta hoje enviada a Alain Juppé, assinada por António Rodrigues, Emídio Guerreiro, Carlos Gonçalves e Carlos Abreu Amorim.

Os quatro deputados dizem-se "convictos da nobreza de tal designação, no reconhecimento da atitude humanista de Aristides Sousa Mendes" e manifestam "o seu apoio a tal atribuição", considerando ainda que "tal atitude dignifica não apenas o diplomata português mas igualmente a entidade que a assume".

"Os subscritores vêm ainda transmitir a sua disponibilidade perante o conjunto da sociedade portuguesa de desencadear os apoios necessários à concretização de tal objetivo, de forma transversal a toda a sociedade portuguesa", acrescentam.

No mesmo texto, os deputados do PSD lembram que Aristides de Sousa Mendes salvou milhares de vidas no período da II Guerra Mundial, quando era cônsul geral e Portugal em Bordéus, ao ter facultado, contrariando ordens, cerca de 30.000 vistos a pessoas de todas as nacionalidades que fugiam da perseguição nazi.

 MP - Lusa

Sem comentários:

Publicar um comentário